"De maneira mais genérica, uma criatura onisciente nunca perderia seu tempo vendo um filme, uma vez que já conhece o final. Não existe cinema para Deus. E, por conseguinte, ele, que não obstante sabe tudo, não sabe o que está perdendo..."

Ollivier Pourriol, no livro Cine Filô.

Comentários da Cristina Faraon

Blá...blá... blá...

O grande desafio

quarta-feira, 24 de março de 2010

Há filmes de luta, filmes de cães, de vampiros, de superação, de romance, de guerra, de espionagem... Esse é um filme de negros.

Gosto de filmes que contam a história de luta dos negros dos Estados Unidos. Gosto, exceto pelo fato de que como brasileira me sinto uma porcaria. Eles se uniram, meteram a cara, exigiram e alcançaram respeito. E nós?  Temos militantes de causas justas? Onde?  Quando falam em "luta social" no Brasil o que me vem à mente é um monte de vagabundos que vivem de pilhar, assustar, roubar, depredar, entrar em plantações e destruir tudo, derrubar árvores frutíferas, queimar tratores, barbarizar, intimidar e tudo o mais. Tudo o que os nossos "grandes lutadores" sabem fazer é transformar terras produtivas ou não em lotes de favela para venda.  Você sabe de quem estou falando.

Como ia dizendo...  Sim, gosto de filmes de negros e esse também é interessante, embora não seja apaixonante. O que mais me agradou nele foi saber que era baseado em uma história real. Fora isso, é apenas bom.

Trata sobre o quê? Sobre o poder incontestável da oratória.  Dominar as palavras é de fato uma arte. Palavras são como potros selvagens e quem os domina tem em suas mãos um poder muito pouco divulgado mas incontestável.  Porque palavras, frases, discursos brilhantes, tem um poder incrível sobre as pessoas; mina tanto mentes quanto corações; muda posturas, captura almas, cala oponentes, ridiculariza inimigos, conquista adeptos. Quem tem a mente, tem tudo.  Calro que, como toda forma de poder, pode ser manipulado e usado para o mal.  Pois é. Mas o certo é que as palavras trabalham como escravas para o bem estar de quem as conquistou e domina.

O tema "o poder da oratória" (poderia ser o nome do filme) é mostrado aqui através da história de um professor universitário inteligente e pouco ortodoxo, engajado em causas políticas,  que influencia profundamente seus alunos, mais especificamente três deles, que se tornam brilhantes debatedores de teses.

É isso.

1 comentários:

Rafael Faraon 4 de agosto de 2010 11:24  

Muito bom o filme. Também recomendo!

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP